Reflexos e Reflexões...

HELEIETH SAFFIOTI


"A discriminação contra a mulher e o negro no Brasil é socialmente construída para beneficiar quem controla o poder econômico e político. E o poder é macho e é branco."



quinta-feira, 8 de setembro de 2011

PELA VALORIZAÇÃO DA ENFERMAGEM




A Enfermagem é uma profissão que se ampliou através dos séculos surgiu do desenvolvimento e evolução das práticas de saúde no decorrer dos períodos históricos. As práticas de saúde instintivas foram às primeiras formas de prestação de assistência, continuando depois com as práticas de saúde mágico-sacerdotais, período hipocrático, monástico-medievais, pós-monásticas e a moderna. Estas ações de cuidado em saúde garantem ao homem a manutenção da sua sobrevivência, estando na sua origem, associadas ao trabalho feminino, caracterizado pela prática do cuidar atendendo as concepções evolucionistas e teológicas. O domínio dos meios de cura passou então a significar poder.
Com o progresso social e intelectual da Renascença e a evolução das universidades esperava-se um real crescimento da Enfermagem, porém, esta permaneceu enclausurada nos hospitais religiosos, continuou empírica e desarticulada durante muito tempo, vindo a desagregar-se das questões religiosas a partir dos movimentos de Reforma Religiosa e das conturbações da Santa Inquisição. Os hospitais geralmente ligados as Santas Casas, já negligenciados, passam a ser um insalubre depósito de doentes, onde homens, mulheres e crianças utilizam as mesmas dependências, amontoados em leitos coletivos.
Nesse momento as freiras das Santas Casas deixam de exercer o cuidado ficando a cargo das “meretrizes” a assistência aos doentes. Sob exploração deliberada, considerada um serviço doméstico, pela queda dos padrões morais que a sustentava, a prática de enfermagem tornou-se indigna e sem atrativos para as mulheres de casta social elevada. E esse fato estigmatiza a Enfermagem até os dias de hoje, onde a enfermeira é vista como objeto sexual e aquela que vai atender aos “desejos mais íntimos” dos médicos e pacientes.
OGUISSO, (2005) afirma que om a atuação voluntária de Florence Nightingale na guerra da Criméia (1854) a mesma instituiu um processo rigoroso para selecionar as enfermeiras que a acompanhariam  na Guerra. Florence consegue não só melhorar o valor relacionado às práticas de saúde e cuidados aos feridos de guerra, como também quebrar o preconceito que existia em torno da participação da mulher no Exército e transformar a visão da sociedade em relação à enfermagem e ao estabelecimento de uma ocupação útil para a mulher.
Esse período representa o inicío da Enfermagem Moderna que ao longo do tempo vem desconstruindo e construindo sua história, sua relação com a sociedade é permeada pelos conceitos, preconceitos e estereótipos que se estabeleceram na sua trajetória histórica e que influenciam até hoje a compreensão de seu significado enquanto profissão da saúde composta de gente que cuida de gente. É justamente nessa perspectiva do cuidado que se insere todo o legado da Enfermagem enquanto prática de saúde e cabe a nós enfermeiros lutarmos pela valorização dessa profissão, seja em relação ao papel do enfermeiro na equipe multiprofissional, nos espaços de cuidado em saúde enquanto loco da ação do enfermeiro(a), frente a precarização do trabalho pensando na jornada de trabalho que os profissionais da enfermagem são submetidos e nas questões referentes à remuneração.
A luta pela aprovação do PL 2.295/00 que regulamenta a Jornada de Trabalho dos profissionais da Enfermagem para 30 horas semanais é uma importante mobilização da categoria e representa a esperança de conquistar os objetivos dessa ação. Entendemos que o trabalhador necessita de tempo para construir-se como ser humano emancipado,  precisa de tempo para refletir sobre a qualidade e sobre os sentidos da vida e investir em áreas que a própria falta de tempo sequer permite que ele conheça. Além do que, a limitação da jornada, potencialmente, abriria campo de trabalho para mais profissionais. Nenhuma bandeira de humanização no trabalho pode pretender avançar senão pela redução da jornada e melhoria dos salários, causando assim, grande impacto financeiro, social, melhor qualidade de vida para esses profissionais e qualidade dos serviços de saúde que são dispensados aos usuários. Pensar o impacto financeiro é considerar as características do trabalho de enfermagem, convívio com dor, sofrimento, doenças, turnos ininterruptos, sábados, domingos e feriados, aliados as más condições de trabalho, muita responsabilidade e pouca valorização que tem culminado em insatisfação, adoecimento e aumentado a evasão profissional.
Assim não podemos aceitar os vencimentos para Enfermeiro (40/hs/semanais) de 795,25 R$ menos de dois salários mínimos oferecidos pelo município de Lauro de Freitas – Ba em seu concurso Público Municipal, aceitar essa remuneração é desvalorizar toda a luta da Enfermagem em sua trajetória histórica de conquistas e também, é não reconhecer a importância dessa categoria aos serviços de saúde e prestação da assistência aos usuários do serviço. Valorizar o profissional da Enfermagem é reconhecê-lo enquanto sujeito fundamental na atenção a saúde por sua formação técnica, que o capacita na resolutividade das ações em saúde como promoção, prevenção e integralidade do cuidado. Um município que não remunera dignamente o profissional da Enfermagem, não reconhece as características e qualidades que formam o profissional dessa área.


OBS: Fomentando minha crítica ao Concurso Público do município de Lauro de Freitas, o mesmo foi SUSPENSO TEMPORARIAMENTE, segundo nota publicada a referida suspensão tem como objetivo ajustar erros identificados no texto do edital normativo; além da promoção de acréscimo de cargos; bem como a realização de ajustes salariais em algumas categorias, com vagas disponibilizadas no citado concurso.
Fica então a expectativa da categoria de Enfermagem para que o ajuste salarial a ser proposto pelo município de Lauro de Freitas contemple também os profissionais da enfermagem!!!
Hoje dia 08 de setembro de 2011 ao acessar a página do PCI concursos para acompanhar o edital do Concurso Público de Lauro de Freitas que havia sido suspenso temporariamente. Observei que as informações sobre o referido concurso não se encontra mais na página, ou seja, a suspensão do concurso agora parece definitiva. Vamos Aguardar...
Acessem o Link:
http://www.pciconcursos.com.br/concursos/nordeste/

2 comentários:

  1. Isto prova que esta discussão tem sido levantada tmb por outras pessoas conscientes como vc.
    bjs

    ResponderExcluir